Marcos da História Rumo à Democracia

Abr 23 2021

É com o aproximar de um Dia Histórico para a Democracia Portuguesa, que sentimos o valor imenso da sua conquista. Sim, não foi fácil, não é fácil, Viver em Democracia com Democracia! Mas este é o grande desafio, o Desafio da Liberdade! Uma Liberdade de ABRIL que pode sempre acabar quando começa a Liberdade do Outro.

Estamos em casa, não estamos na rua, mas queremos viver, comemorar com segurança e alegria a Democracia Portuguesa!

Num conjunto de quatro pequenos filmes, procuramos ilustrar marcos fundamentais que assinalam a construção da Democracia.

Na Idade Média predominava a Sociedade de Ordens, não era permitida a ascensão social.

Mas durante a Segunda Metade do Século XIX, tudo mudou. Assistimos a um momento de liberdade de circulação de mercadorias, pessoas, IDEIAS!

O caminho faz-se caminhando. Cada vez mais rápido. Naquele tempo, a vapor!

Eis que se proclama a República. Os ideais da Revolução Francesa renascem! Procura-se a igualdade, a fraternidade, a liberdade!

Mas a confusão instalou-se, oito presidentes, quarenta e cinco governos, em dezasseis anos, conduziram o país a uma forte instabilidade governativa.

Os Portugueses desejavam a ordem, a disciplina e o Estado Novo dava essa resposta. Uma resposta que custou a perda da Liberdade, a Vitória   da Censura.

Graças a um espírito forte, corajoso, aguerrido e pacífico, fizemos ABRIL, a Revolução dos Cravos, conquistamos a LIBERDADE!

Que a saibamos amar, cuidar, segurar, é um bem precioso que muito custou conquistar!!!

                                                                              Departamento de Ciências Sociais e Humanas

                                                                                  História e Geografia de Portugal / História

Vídeos:

MARCOS DA HISTÓRIA RUMO À DEMOCRACIA – IDADE MÉDIA – Sociedade Ordens

MARCOS DA HISTÓRIA RUMO À DEMOCRACIA – INVENTOS DO SÉCULO XIX

MARCOS DA HISTÓRIA RUMO À DEMOCRACIA – REPÚBLICA / ESTADO NOVO

MARCOS DA HISTÓRIA RUMO À DEMOCRACIA – 25 DE ABRIL